Sinter cobra da SEED a análise de cerca de 300 processos de progressão por titulação

Sinter cobra da SEED a análise de cerca de 300 processos de progressão por titulação

28 de abril de 2020 0 Por Pablo Sérgio

Na manhã desta terça-feira, 28/04, a direção do Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Roraima (SINTER) encaminhou oficio para a Secretaria Estadual de Educação e Desporto (SEED) cobrando o início dos trabalhos da Comissão de Progressões por Titulação (CGPEB) que este ano não teve nenhuma reunião agendada.

De acordo com o diretor geral do Sinter, professor Flávio Bezerra da Silva, os membros da referida comissão já foram indicados e até a portaria de nomeação foi publicada em Diário Oficial, mas até o momento não houve sequer uma reunião.

Flávio Bezerra explicou que as demais comissões da referida secretaria que atuam na análise dos pedidos de progressão funcional vertical e horizontal – da categoria – já trabalham em home-office.
“O mesmo modelo de trabalho via home-office pode ser adotado pela CGPEB. A comissão já tem cerca de 300 processos para análise de progressões por titulação e os trabalhadores em educação aguardam ansiosos pela conclusão dessas análises”, afirmou Flávio Bezerra.

O diretor geral do Sinter informou ainda que a entidade sindical também cobra as atualizações das progressões horizontais já analisadas e enviadas para a Secretária Estadual de Educação e Desportos (SEED). Cerca de 130 professores aguardam suas progressões verticais, por titulação.

Ele disse ainda que a Comissão de Progressões por Tempo de Serviço (SAPDEB), também já enviou seu relatório com cerca de 300 progressões horizontais que já foram publicadas em Diário Oficial, já publicadas em 2017 para atualização.

“E neste momento em que – mais uma vez – o governo não concederá correção salarial, a ausência do acréscimo justo e legitimo advindo dessas progressões faz muita falta na sobrevivência dos trabalhadores em educação que, mesmo na pandemia, estão trabalhando sacrificando muitas vezes a própria saúde”, ressaltou Flávio Bezerra.

Ele também lembrou que neste ano de 2020 a SAPDEB já atualizou todas as letras dos professores e a categoria aguarda a publicação dessas portarias pelo Governo do Estado. Ao todo são 2.300 novas atualização de letras a serem realizadas.

“O Sinter divulgou no mês passado as correções de publicação por tempo de serviço feitas no Diário Oficial de 20 de março, para que os professores observassem se seus contracheques de abril foram corrigidos. Não houve registro de reclamações, o que se espera estejam com salários corretos”, disse.

Flávio Bezerra, afirmou também que cabe ao sindicato – em conjunto com a categoria – ficar atentos nas próximas publicações que devem ser realizadas em breve.

“Se é verdade que haverá uma queda no Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação), também é verdade que dos 530 professores que estão aptos a aposentadoria, cerca de 150 já solicitaram e tiveram seus pedidos deferidos surgindo uma margem financeira para as correções”, concluiu.