NOTA DE ESCLARECIMENTO

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email

Diante da repercussão da citação do nome do SINTER (Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado de Roraima) durante a sessão ordinária da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Pandemia, realizada na data de ontem, 15/09, no interrogatório do empresário e advogado Marcos Tolentino, que está sendo apontado como “sócio oculto” do FIB Bank e cuja parte do capital do referido banco, teria sido oriunda da aquisição dos precatórios dos professores federais de Rondônia e de Roraima.

A diretora geral do Sinter, Josefa Matos, informa aos sindicalizados e a sociedade roraimense em geral que, desconhece qualquer tipo de intermediação feita pelo sindicato com o referido banco, mesmo porque esta questão refere-se a situações ocorridas em gestões anteriores há mais de 15 anos e, que em alguns casos são objeto de ações judiciais em andamento por parte das pessoas e empresas envolvidas nos acontecimentos daquele período, fugindo da alçada da atual diretoria do Sinter.

Por outro lado, entende que caso seja confirmada alguma irregularidade que envolva diretamente está entidade sindical ou algum de seus membros, não vai compactuar com isso e será a primeira a requerer judicialmente a punição dos envolvidos.

Boa Vista-RR, 15 de Setembro de 2021.

Josefa Matos – Diretora-Geral SINTER