Dirigentes do Sinter participam de mobilização nacional contra a PEC 32 em Brasília

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email

Votação da Reforma Administrativa pode ocorrer ainda este mês; trabalhadores devem manter a pressão para que os parlamentares votem contra a Proposta que vai afetar os serviços públicos

Os diretores do Sinter, Josefa Matos e Paulo Thadeu Neves, participam da mobilização nacional contra a Proposta de Emenda à Constituição 32/2020 em Brasília. A pressão presencial neste mês de outubro contra a Reforma Administrativa foi convocada pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE).

Nesta terça-feira, 5, os representantes de sindicatos de todo o país estiveram na Câmara dos Deputados. Os trabalhadores usaram faixas, cartazes e bandeiras pedindo para que os parlamentares votem contra a PEC. A ação deve ocorrer também nesta quarta-feira, 6 de outubro.

“A PEC 32 é uma proposta indecente, desumana, inconstitucional que se apoia em informações falsas, dados inconsistentes. Pedimos que os deputados federais digam não à essa deforma administrativa”, destacou a diretora-geral Josefa Matos.

A Reforma Administrativa de Bolsonaro e o ministro Paulo Guedes, encaminhada pela PEC 32/2020, destrói os serviços públicos e atinge fortemente a educação.

“Além de participar do ato contra a PEC 32, nós do Sinter vamos protocolar, na quarta-feira, uma carta no gabinete dos deputados federais por Roraima. Não podemos deixar que a proposta seja aprovada em Plenário. Precisamos agir com firmeza para garantir esses votos contrários e convencer mais parlamentares sobre a destruição prevista na Reforma”, disse o professor Paulo Thadeu.

A discussão e votação pode ocorrer ainda este mês de outubro.

“A PEC 32 desmonta os serviços públicos e ataca os direitos da população, deixando-a ainda mais desprotegida de garantias trabalhistas e sociais”, concluiu Josefa.