Direção do Sinter faz esclarecimentos quanto no PCCRDEB dos técnicos educacionais

 

Diante das inúmeras dúvidas em relação aos critérios para o enquadramento no Plano de Cargos, Carreira e Remuneração da Educação Básica dos Técnicos Educacionais (PCCRDEB) a direção do Sinter (Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado de Roraima) emitiu esclarecimentos na manhã desta segunda-feira, 06/06, para os seus sindicalizados.
A primeira informação dada pela direção sindical foi a de que a nomeação da Comissão de Enquadramento do PCCRDEB dos Técnicos Educacionais já estava no Diário Oficial do Estado, conforme divulgado pelo Sinter na semana passada. A comissão composta por representantes do sindicato e da Secretária Estadual de Educação (SEED) foi nomeada através da publicação no diário oficial número 4214, de 3 de junho de 2022, e tem prazo de 90 dias para realizar seu trabalho.

Segundo a diretora-geral do Sinter, professora Josefa Matos, a fase mais difícil foi transformar a reivindicação histórica dos técnicos educacionais em lei. “Com muito trabalho e articulação política conseguimos esta vitória. Agora vamos ficar atentos ao trabalho da comissão para que cada servidor possa providenciar a documentação necessária para ingressar no PCCRDEB.

Nós do Sinter vamos continuar com todo o empenho que tivemos até aqui para garantir a consolidação desse direito na vida funcional e financeira dos nossos técnicos educacionais”, afirmou Josefa Matos.

Com base na Lei número 1762 de 27 de abril de 2022, a comissão irá definir sua programação de trabalho, para em seguida anunciar os prazos para a entrega da documentação necessária para os técnicos educacionais que se enquadram nas exigências da lei, pois um dos critérios para o enquadramento é que o servidor precisa estar lotado na SEED até o dia da publicação da lei.
Segundo a diretora do departamento dos técnicos educacionais do Sinter, em exercício, Marly Almeida, nenhum técnico da SEED é obrigado a ingressar no PCCRDEB e quem quiser pode continuar no quadro geral. Entretanto, ela esclareceu que essa conquista é fruto de uma reivindicação antiga de todos os técnicos e nada mais justo que todos possam se beneficiar os resultados positivos desta conquista.
“Apesar de ser uma luta antiga de nossa categoria, que conquistamos recentemente, ainda há quem esteja em dúvida quanto a adesão ao PCCRDEB. É normal que isso ocorra, mas é importante observar a melhoria salarial e o reconhecimento profissional com nosso vínculo direto com a Educação, o que nos possibilitará receber os mesmos benefícios e reajustes diferenciados dos demais trabalhadores em educação. Por isso, nos colocamos a disposição para esclarecer detalhadamente o que diz a lei aos que tiverem dúvidas sobre o assunto”, declarou Marly Almeida.