Conforme anunciado pela direção do Sinter, reajuste de 10% na tabela do PCCR dos professores foi aprovada

Mais uma vez ficou provado que a mobilização sindical com responsabilidade e compromisso real com os interesses da categoria gera resultados positivos para a classe trabalhadora. E um exemplo foi a aprovação do reajuste de 10% na tabela do PCCR dos professores da rede estadual de ensino, conforme anunciado pela direção do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado de Roraima (SINTER).

Com a alteração votada pelos deputados estaduais na manhã desta quinta-feira, 31/03, os professores totalizam um ganho de 21% de reposição salarial, fato inédito na luta histórica da categoria e sem a necessidade de realização de greve.

De acordo com a diretora-geral do Sinter, professora Josefa Matos, desde o ano passado o sindicato início uma campanha de reposição salarial de 36% em função da somatória das perdas acumuladas no decorrer dos últimos anos.

“E mesmo quando o governador anunciou que só poderias conceder uma reposição de 11% para todos os servidores. Nós da direção do Sinter, em sintonia com nossos sindicalizados, mantivemos nossa mobilização em defesa de um reajuste diferenciado e a aprovação do PL 144 hoje, nada mais é do que o resultado da nossa luta sindical”, afirmou Josefa Matos.

Ela explicou ainda que como 39 supervisores e coordenadores pedagógicos que fazem parte do quadro em extinção estavam de fora do acréscimo nos 10% da tabela, o Sinter reivindicou que tais servidores também fossem contemplados.

“Nós reivindicamos para o presidente da Comissão de Educação da Assembleia, deputado Evangelista Siqueira, para que os supervisores e orientadores também fossem beneficiados e com isso conseguimos incluir uma emenda para que eles não ficassem de fora”, explicou a diretora-geral.

Na avaliação dela o resultado da luta iniciada no ano passado trouxe resultados positivos e é fruto da mobilização sindical com responsabilidade. “Ainda não conseguimos 100% daquilo que reivindicávamos, mas consideramos um grande avanço e continuaremos nossa luta para atingirmos nossas metas, com seriedade, responsabilidade e transparência. Pois diferente de alguns, não usamos as pautas de reivindicação da categoria para fazer politicagem nas redes sociais ou em veículos de comunicação que não possuem qualquer compromisso com a luta dos trabalhadores”, finalizou Josefa Matos.