Seja bem-vindo

Horário de funcionamento:

Seg-Sexta
8hs às 12hs
14hs às 18hs

Fale conosco


95) 3623-0487
faleconosco@sinterroraima.com.br

Pablo

Pablo

Na última terça-feira, membros da direção do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado de Roraima (Sinter) esteve na sede do município de Normandia, na escola estadual Mariano Vieira, para tirar dúvidas e prestar esclarecimentos aos trabalhadores em educação federais e estaduais daquela localidade. 

A visita ao município foi uma solicitação dos trabalhadores em educação de Normandia que estavam ávidos em obter informações sobre o calendário escolar de 2019, sobre as ações da categoria impetradas pelo sindicato e de interesse dos trabalhadores.

De acordo com a professora Cheiliana Lima, diretora de Formação Política Sindical do Sinter, a reunião foi muito positiva pois foi possível prestar os esclarecimentos necessários para os trabalhadores e, ao mesmo tempo, ouvir as preocupações e sugestões da base para os encaminhamentos que a entidade deve ter sobre os assuntos discutidos.

“Na oportunidade foram escolhidos os trabalhadores em educação da escola Mariano Ribeiro que vão participar do encontro dos representantes que o Sinter vai realizar na próxima semana. Também realizamos novas filiações e ao final ficou clara a necessidade de intensificamos esse contato de forma mais permanente por parte de todos os envolvidos”, observou Cheiliana Lima.

Por sua vez, o professor Jefferson Dantas destacou a importância desses encontros com os trabalhadores em educação em seus locais de trabalho, principalmente dos que trabalham no interior.

“Constatamos que os trabalhadores do interior estão bastante insatisfeitos com a imposição do calendário escolar que terão que pagar aulas aos sábados e ficar sem férias no final do ano, num total desrespeito aos professores, aos pais de alunos e, principalmente, aos alunos”, ressaltou.

Durante a reunião, Jefferson Dantas, fez questão de reafirmar o compromisso da direção do Sinter na defesa dos interesses dos trabalhadores em educação.

“Importante destacar que estamos atentos aos problemas que os trabalhadores em educação estão enfrentando e para cada situação especifica buscamos resolver de maneira cordial pela via administrativa e esgotadas todas as possibilidades quanto ao diálogo, seguimos para o caminho jurídico, pois o que não podemos é deixar a categoria desamparada e tendo seus direitos desrespeitados”, concluiu.                                

Quarta, 13 Março 2019 18:30

NOTA DE PESAR E DE SOLIDARIEDADE

O Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado de Roraima (SINTER) vem de público expressar solidariedade para a comunidade escolar de Suzano, São Paulo, em função do trágico massacre praticado na manhã desta quarta-feira, 13, contra alunos e funcionários da Escola Estadual Raul Brasil, neste momento de dor e tristeza para pais, alunos e trabalhadores em educação de Suzano e de todo o país.

Relembrando uma das palavras de ordem desta entidade sindical: “menos armas e mais livros!”, por entender que somente a educação pode transformar a sociedade, sendo necessário incentivar o debate respeitoso de ideias, a tolerância e o fim dos preconceitos, valores que fazem parte da missão do SINTER e de todos os Trabalhadores em Educação que o integram, bem como a valorização da carreira do trabalhador em educação, na perspectiva de ajudar a combater todo tipo de violência, inclusive a ocorrida e Suzano.

Boa Vista-RR, 13 de Março de 2019.

Flávio Bezerra da Silva

Diretor-Geral do SINTER

Quarta, 13 Março 2019 09:43

NOTA DE REPÚDIO

O Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado de Roraima (SINTER) vem - mais uma vez - repudiar a forma como professores, técnicos e alunos estão sendo tratados pelo poder público estadual, com o atraso do ano letivo/2019 nas escolas do interior e também nas escolas indígenas.

Como é do conhecimento público, a Secretária Estadual de Educação (SEED) prorrogou o início das aulas usando como justificativa a necessidade de regularização do transporte escolar e da merenda escolar.

Contudo, isto até o momento não ocorreu. Nada de início das aulas, não há transporte escolar, não tem merenda e muito menos pessoal de apoio.

E eis que prorroga o início para nove de abril, sendo que para as escolas indígenas tem uma previsão - de início - para a segunda quinzena de abril, fazendo com que a Rede Estadual de Ensino tenha três calendários escolares paralelos em um único ano.

Mais uma vez a direção do Sinter lembra que sugeriu para que cada escola de acordo com a sua realidade e em conjunto com a comunidade escolar deliberasse pela adequação do calendário escolar. Entretanto, a SEED não aceitou e com isso penaliza toda comunidade escolar.

Sofrem as famílias, que perderão o contato familiar dos fins de semana e feriados; Sofrem os trabalhadores em educação, que terão seis dias de trabalho semanal se desdobrando para manter a atenção dos alunos e em especial o professor seletivado que terá que repor um dia letivo que não lhe compete; Sofrem os alunos que sabem que as aulas aos sábados e feriados não rendem e comprometem a qualidade da educação e seu futuro.

Boa Vista-RR, 12 de Março de 2019

Flávio Bezerra da Silva

Diretor Geral do Sinter

Sexta, 08 Março 2019 19:16

DIA INTERNACIONAL DA MULHER

Quinta, 07 Março 2019 22:44

Nota de Repúdio

A direção do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado de Roraima (SINTER), vem a público manifestar sua indignação quanto à forma que professores, técnicos e alunos estão recebendo - do poder público estadual - as escolas para o início do ano letivo 2019.
A Secretária Estadual de Educação prorrogou o início das aulas para que o transporte escolar e a merenda fossem normalizados. 
Entretanto, iniciadas as aulas, nas escolas não há transporte escolar, não há merenda e muito menos pessoal de apoio. 
Como a direção do Sinter havia proposto, cada escola deveria ver sua realidade e se adequar ao calendário. A SEED não aceitou e com isso penaliza toda a comunidade escolar!
Sofrem as famílias, que perderão o contato familiar dos fins de semana e feriados; sofrem os trabalhadores em educação, que terão seis dias de trabalho semanal se desdobrando para manter a atenção dos alunos e sofrem os alunos que sabem que as aulas aos sábados e feriados não rendem e comprometem a qualidade da educação e seu futuro.

Boa Vista-RR, 07 Março de 2019.

Flávio Bezerra da Silva 
Diretor-Geral do SINTER

Terça, 19 Fevereiro 2019 09:25

CONVOCAÇÃO INTERSINDICAL

?CONVOCAÇÃO INTERSINDICAL
 
 CONVOCAMOS , todos os servidores do Estado de Roraima, para a MANIFESTAÇÃO CONTRA O RETROCESSO NO SERVIÇO PÚBLICO e garantia dos nossos direitos!
 
? EDUCAÇÃO ;
?? SEGURANÇA ;
? SAÚDE ;
? ADMINISTRATIVO
 
Data: 19 de Fevereiro    (Terça - Feira);
 
Local: Em frente a Assembleia Legislativa; 
 
Horário: 8h 
 
 UNIDOS SOMOS FORTES E JUNTOS SOMOS IMBATÍVEIS! 
 
 Nenhum direito a menos! 
 
Assinam os presidentes dos sindicatos:
 
Melquisedek Menezes - SINDPRER 
Flávio Bezerra - SINTER ;
Francisco Figueira - SINTRAIMA ;
Leandro Almeida - SINDPOL ;
Joana Dark - SINDAPE-RR 
Claudinei Simon - SINTAGRR 
Gustavo - SINFEARR 
 
Boa Vista, Roraima 17 de Fevereiro de 2019.

Em menos de uma semana após ter anunciado o pagamento de uma lista de 31 professores referente a ação judicial do 1/3 de Férias, a direção do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado de Roraima (Sinter) informou nesta segunda-feira, 18, que mais 41 sindicalizados estão sendo chamados para receber o alvará que dará direito ao recebimento do valor calculado em função da referida ação já conclusa.

O diretor do departamento jurídico da entidade, professor Jefferson Dantas, esclareceu que a ação referente ao 1/3 de férias devido aos professores da rede estadual de ensino é uma ação individual e protocoladas em lotes para dar celeridade na tramitação e finalização do processo.

“A ação do 1/3 de férias é uma ação vitoriosa, pois os processos ingressos nas primeiras ações já estão em fase de execução, ou seja, de liquidação da sentença. E na medida em que cada ação for sendo conclusa, a assessoria jurídica do Sinter vai comunicar diretamente cada professor beneficiado para pegar o seu alvará e apresentar na instituição bancária para o recebimento do valor a que tem direito”, explicou Jefferson Dantas.

De acordo com Jefferson Dantas, para evitar possíveis transtornos aos interessados, há uma expectativa positiva em relação ao andamento das ações impetradas pela assessoria jurídica do Sinter em relação ao 1/3 de férias.

“Pelo andar da carruagem acreditamos que em breve a maioria dos professores que ingressou com a ação deve receber seu alvará. Mas é necessário    ter um pouco de paciência tendo em vista que a expedição desses alvarás é feita pela Justiça que uma dinâmica própria. Mas o importante é isso já está acontecendo e aos poucos todos estarão com os valores devidos em suas contas bancárias”, explicou.

Ele fez questão de observar que são dezenas de ações que vão beneficiar cerca de dois mil sindicalizados, com um aquecimento na economia local em quase dez milhões e que a conquista desta ação é fruto do trabalho sério, responsável e determinado da direção do Sinter na defesa dos direitos dos trabalhadores em educação.

“Estamos atentos na defesa dos direitos de nossos sindicalizados, primeiro buscamos resolver cada situação pela via administrativa e até mesmo política. Mas não obtendo resultado, seguimos pelo caminho jurídico que às vezes até demora, mas que na maioria das vezes saímos vitoriosos”, concluiu Jefferson Dantas.

Falando sobre a decisão do Governo do Estado de ingressar no Supremo Tribunal Federal contra a Lei estadual nº 895/2013, validação de diplomas obtidos no exterior, anunciado amplamente na manhãs desta segunda-feira, 18, o diretor-geral do Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Roraima (Sinter), disse que a entidade não vai abrir mão dos direitos conquistados pela categoria e que se necessário for também ingressará na Justiça para que o direito dos professores sejam mantidos.
De acordo com o que está sendo veiculado na imprensa e nas redes sociais, o Governo do Estado ajuizou uma ação direta de inconstitucionalidade, com pedido de medida cautelar, no Supremo Tribunal Federal (STF). com data 5 de fevereiro deste ano.
A concessão da medida cautelar é para suspender os efeitos da totalidade da Lei estadual nº 895 de 25 de janeiro de 2013, que dispõe sobre o reconhecimento, no Estado de Roraima, de diplomas de cursos de pós-graduação obtidos em outros países.
Flávio Bezerra disse que o movimento sindical roraimense está perplexo com algumas medidas encaminhadas pelo Governo do Estado que visam tão somente retirar os direitos dos servidores públicos estaduais como se eles fossem os responsáveis pela crise financeira que se instalou no Estado e que a entidade não vai ficar de braços cruzados enquanto os direitos da categoria são retirados.
“Vamos lutar pela manutenção do reconhecimento em conformidade com o que determina a Lei estadual nº 895/2013. Nosso departamento jurídico, na pessoa do professor Jefferson Dantas e nossa assessoria jurídica já estão fazendo um estudo sobre o tema e entraremos com recursos para que os professores não sejam prejudicados”, afirmou Flávio Bezerra.

No final da tarde de ontem, 14, a direção do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado de Roraima (Sinter) anunciou mais uma conquista judicial para os trabalhadores em educação da rede estadual de ensino, referente a ação de 1/3 de férias com entrega de alvarás para pagamento de 31 trabalhadores em educação.

Segundo a entidade sindical, sobre a questão do 1/3 de férias dos trabalhadores em educação, devidos pelo Estado, o Sinter ingressou com ações individuais tendo resultado positivo por parte da Justiça já em 2016, sendo que agora esses processos estão em fase de execução (em fase de liquidação de sentença) e a expectativa é de que no decorrer desse ano muitos professores tenham seus valores depositados em conta.

“Importante esclarecer que os alvarás autorizativos de pagamento que estão sendo expedidos pela Justiça são os referentes às ações que foram dadas em 2015, 2016 e 2017. E esses alvarás estão sendo expedidos pela Justiça por grupos. Cabendo aos professores em educação que ainda não foram convocados para receber seus alvarás aguardarem o chamamento do Sinter, que provavelmente ocorrerá no decorrer de todo este ano”, esclareceu o diretor do departamento jurídico do Sinter, professor Jefferson Dantas.

Ele esclareceu também que existem vários processos que já estão com valores em penhora ou com a determinação de bloqueio por parte da justiça com depósitos em conta judicial referentes, inclusive, às ações de 2018, o que vai dar celeridade a finalização de algumas ações.

De acordo com o diretor do departamento dos professores estaduais do Sinter, professor Valdemar Júnior, o pagamento de ações do 1/3 de férias que começou a ser pago desde o ano passado reflete na seriedade que o sindicato tem em relação à busca dos direitos dos trabalhadores em educação.

“Importante esclarecer aos nossos sindicalizados que estamos alertas na defesa dos direitos de nossa categoria. Quando não conseguimos preservar esses direitos pela via administrativa buscamos pela via judicial e apesar de ser um caminho demorado pela própria dinâmica da Justiça, sempre conseguimos atingir nossas metas”, disse o professor Valdemar Júnior.

Página 1 de 4
logooriginal.png

O Sinter originou-se de uma associação denominada APAIMA (Associação dos Professores de Roraima).

© Copyright 2019 Agencia Amazonia digital. All Rights Reserved.

Search